Aprender soft skills sem formação

É possível aprender soft skills sem recurso a formação?

A resposta a esta questão é um gigante e redondo sim! Por soft skills entendem-se aquelas competências associadas ao comportamento, personalidade, motivação e por isso trabalham-se no dia-a-dia. Na verdade, devem mesmo desenvolvidas numa base diária com rotinas e hábitos que as tornem parte de nós. Apesar de existirem múltiplas formações disponíveis que possibilitam alguma aprendizagem, e que podem dar ferramentas e contributos para crescimento e evolução a esse nível, a verdade é que mesmo nesse caso o importante é o que fazemos depois da formação e como integramos esse conhecimento em contexto real.

Se por um lado há empresas que continuam a dar prevalência ou mesmo exclusividade às hard skills, competências mais técnicas e mais plasmáveis no CV, a verdade é que muitas outras, e talvez aquelas onde vale a pena trabalhar, apostam em colaboradores que cultivam as suas aptidões mentais, emocionais e sociais.

As listas sobre as capacidades mais procuradas e valorizadas são múltiplas, e cada empresa e posto de trabalho apresenta necessidades e exigências específicas, porém uma qualquer pesquisa rápida permitirá chegar a uma vasta lista. Recorremos a dados do Future of Jobs Survey 2018, publicado pelo Fórum Económico Mundial, uma vez que se trata de uma organização internacional que reúne líderes e especialistas e logo que atesta de forma rigorosa o que o mercado exige.

De acordo com o referido relatório, ver figura 1, as tendências de competências para 2022 são as seguintes:

  • Pensamento analítico e inovação
  • Aprendizagem ativa e estratégias de aprendizagem
  • Criatividade, originalidade e iniciativa
  • Design tecnológico e inovação
  • Pensamento crítico e análise
  • Resolução problemas complexos
  • Liderança e influência social
  • Inteligência emocional
  • Raciocínio, resolução de problemas e ideation
  • Análise de sistemas e avaliação

Por sua vez, o Linkedin, analisando a sua vasta rede, avançou com as competências tendência para 2020 e nas soft skills destacou:

  • Criatividade
  • Persuasão
  • Colaboração
  • Adaptabilidade
  • Inteligência emocional

Não vamos ocupar-nos aqui de hard skills, mas na figura 2 conseguem encontrar também aquelas que estarão em demanda no ano de 2020, e que compreendem sobretudo competências tecnológicas.

Listamos algumas das competências mais valorizadas e do futuro, mas que são listas que, além de voláteis, são genéricas, mas que ainda assim podem fornecer linhas orientadoras. Porém, o propósito deste artigo, mais do que conhecer em detalhe as soft skills, é perceber como as desenvolver sem recorrer à formação, para a qual muitas vezes não há o tempo ou orçamento necessários.

Reunimos algumas dicas que postas em prática podem ajudar no desenvolvimento de competências pessoais e profissionais e ao mesmo tempo potenciam o nosso bem-estar e confiança.

  1. O autoconhecimento é essencial, no sentido de perceber quais as aptidões que são inatas e como tal já tempos por adquiridas e aquelas em que precisamos apostar e desenvolver, e isso pode ser feito com recurso a autocoaching, com exercícios e questionários, mas sobretudo com observação crítica do nossos comportamento e atitude. É ainda muito importante nesse sentido aquele que é a nossa segunda estratégia: pedir feedback.
  2. Pedir feedback sincero a família, amigos, conhecidos, colegas, superiores, antigos colaboradores, e quem mais se lembrarem para apontarem o que precisa ser melhorado e desenvolvido. Prepara-se porque vai doer. Existem até ferramentas especializadas de avaliação e feedback 360º às quais pode recorrer para obter informação mais rigorosa e análise das respostas reunidas.
  3. Comunique com pessoas diferentes das habituais. Em geral, temos tendência a apostar nas “nossas pessoas”. Porém, se convivemos sempre com o mesmo tipo de pessoas, as aprendizagens não irão variar muito e por vezes até deixamos de as ouvir.  Conviver com outras pessoas escutar, entender, aprender com elas permitirá gerar novas ideias e valores, que nos tornarão mais completos certamente.  Uma forma de entrar em contacto com diferentes culturas é a nossa próxima dica: espreite!
  4. Viajar é uma forma de evoluir enquanto ser humano e permitir desenvolver a nossa tolerância, sociabilidade, capacidade de definição de prioridades e gestão de recursos e tempo. Ao mesmo tempo permite ainda equacionar cenários e possibilidades, tudo aptidões essenciais no dia a dia de qualquer profissional.
  5. Brincar e jogar e, de preferência, com crianças por perto para “ensinar”. As crianças estão dotadas de incríveis recursos no que toca à criatividade e originalidade e muito porque as suas brincadeiras trabalham nesse sentido, e num mundo em que tudo parece já ter sido inventado, observar as crianças e perceber como há sempre algo novo por descobrir é mesmo potenciador dessas habilidades, ao mesmo tempo que se pode desenvolver visão estratégica, competitividade saudável, flexibilidade, sociabilidade, trabalho de equipa e por vezes até capacidade de negociação. Em princípio estará ainda assegurado melhor humor!
  6. Estudar, sempre! Mesmo não tendo vontade e disponibilidade para ir para uma sala de aula para desenvolver soft skills é essencial o autoestudo e que pode ser feito das mais variadas formas e à medida do tempo disponível, os recursos são inesgotáveis. Leitura de livros e blogs especializados, assistir a vídeos, escutar podcasts, permitirão que o tempo disponível seja todo rentabilizado na sua autoformação.
  7. Rotinas de autocuidado. Cuidar de nós é essencial para o equilíbrio mental, físico e emocional. Assegurar tempo para descanso e sono reparador, alimentação equilibrada e exercício moderado são vitais para o equilíbrio corpo e mente e logo potenciadores da inteligência emocional e de capacidades cognitivas.
  8. Estar ao serviço. Cada vez mais é importante pensar no outro, e com empatia colocar-se na sua posição e ao seu serviço e podemos começar a praticar isso com os que nos são mais chegados e depois levar essa competência para o local de local; o foco no cliente será certamente reforçado com esta prática.
  9. Propor-se desafios diários. Sair da zona de conforto é um cliché nestas matérias, mas de facto funciona mesmo! Tentar diariamente realizar desafios nunca antes tentados, dos mais simples aos mais complexos, permitirão ultrapassar as mais incríveis barreiras e obstáculos que tantas vezes nos deixam aquém do nosso potencial. Foco na solução, pensamento crítico, resiliência, aprendizagem contínua, e capacidade de resolução de problemas complexos poderão ser as novas competências adquiridas com esta prática. 

Se pensarmos bem, em todas as crises que vão surgindo, são também muitas as oportunidades que se vão criando e cabe-nos a nós identificar e aproveitar cada uma dessas oportunidades.

Se olhar bem para as sugestões que aqui lhe deixamos para o desenvolvimento das suas competências, irá reparar que, muito provavelmente, esta é a altura ideal para desenvolver algumas delas. Aproveite o tempo, a quebra da rotina habitual, aproveite esta pequena “pausa” e explore algumas destas ideias. Quem sabe poderá acrescentar-lhe ainda mais valor quando regressar ao trabalho habitual ou, também, caso pretenda abraçar um novo desafio. Estas são as nossas sugestões, mas muitas outras se poderiam somar, já que é em contexto real que crescemos como pessoas e profissionais.  Investir em soft skills promove o desenvolvimento de competências profissionais, mas acima de tudo promove melhores seres humanos e por isso uma aposta de sucesso e com retorno assegurado. Especialistas de recursos humanos apregoam até que rapidamente as soft skills estarão equiparadas as hard skills nas exigências do mercado de trabalho. Vamos pôr em prática? Por um mundo melhor e mais humano?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *